O Sutra do Coração



O Sutra do Coração

Homenagem à Perfeição da Sabedoria, a adorável, a Sagrada!

Avalokita, O Sagrado Senhor e Bodhisattva, movia-se no profundo curso da sabedoria que foi além.
Olhou para baixo da sua posição elevada, contemplou apenas cinco agregados, e viu que eram vazios na sua natureza.

Aqui, Ó Sariputra, a forma é o vazio, e o vazio é forma;
O vazio não é diferente da forma, e a forma não é diferente do vazio;
Tudo o que é forma é também vazio, tudo o que é vazio é também forma,
O mesmo é verdade para sensações, percepções, impulsos e consciência.

Ó Sariputra, todos os dharmas estão marcados pelo vazio,
Não nascem nem morrem,
Não são maculados nem imaculados,
Não são deficientes nem completos.

Portanto, Ó Sariputra, no vazio não há forma, nem sensação, nem percepção, nem impulso, nem consciência;
Não há olho, nem ouvido, nem nariz, nem língua, nem corpo, nem mente;
Não há formas, sons, cheiros, sabores, objectos palpáveis nem objectos da mente;
Desde tudo o que possa ser percebido pelos sentidos até tudo o que possa ser apreendido pela mente, nada há;
Não há ignorância, nem extinção da ignorância;
Não há decrepitude e morte, nem extinção da decrepitude e da morte.
Não há sofrimento, nem origem, nem cessação, nem caminho;
Não há cognição, nem realização e nem não-realização.

Portanto, Ó Sariputra, é devido à não-realização que um Bodhisattva, por ter confiado na Perfeição da Sabedoria, repousa sem obscurecimentos ao pensamento.
Na ausência de obscurecimentos ao pensamento ele não pode ser abalado, superou aquilo que o pode perturbar, e no final ele atinge o Nirvana.

Todos aqueles que surgem como budas nos três períodos do tempo despertam completamente para a mais elevada,
correcta e perfeita iluminação por terem confiado na Perfeição da Sabedoria.

Portanto, deve-se conhecer a Prajnaparamita como o grande encantamento supremo, o encantamento inigualável, que alivia todo o sofrimento, na verdade - pois o que poderia estar errado?
Pela Prajnaparamita esse encantamento foi manifestado.
Diz assim: Ido, ido, ido além, ido completamente além, Ó que despertar, que todos saúdem! Isto completa o Coração da Sabedoria Perfeita.


O Sutra do Coração, tradução da versão de Edward Conze, 1958

Artigos relacionados


Kuan Yin, a Deusa da Grande Compaixão

Kuan Yin, a Deusa da Grande Compaixão

Kuan Yin é a Deusa da Grande Compaixão. É um bodhisattva, ou seja, um ser que jurou levar todos os seres à felicidade. Em sânscrito é Avalokiteshvara, na China é Kuan Yin ou Kuan Shih Yin, no Japão é Kannon e no Tibete é Chenrezig (...) Ler mais

Construir um altar budista

Construir um altar budista

Um altar é um espaço sagrado dedicado a imagens que representam fé, devoção e respeito. É um lugar puro, sagrado, de luz, de amor e de gratidão. No budismo, o altar é também um espaço de reflexão, de prática espiritual (...) Ler mais

Natal no Budismo

Natal no Budismo

Para os budistas, de qualquer parte do mundo, seja no oriente ou no ocidente, é-lhes muitas vezes, nesta época, colocada sempre a questão "os budistas celebram o natal?". Claro que sim. Mas como é que um não-cristão pode (...) Ler mais

Produtos relacionados